Ano Novo




          
                 Desejo a você que esteve comigo de algum modo neste ano que está indo embora, um pouco do meu carinho, a certeza de que você foi muito bem vindo(a) e  gostaria  que você volte em algum momento,  por algum motivo, mas principalmente desejo de coração que não te falte jamais as esperanças de um tempo melhor, a força para que não desistas dos teus projetos e que os sonhos nunca se apaguem em teu coração,  para que persista e insista sempre que um obstáculo aparecer, porque eles sempre aparecem e que com todas as dificuldades que você venha a ter, jamais desista de querer ser feliz, pois ser feliz é justamente conseguir superar todas as dificuldades que surgirem.
     Seja persistente! Seja feliz! Neste ano de 2013 e em todos os outros que vierem.



 
                                           Promessa para 2013


      A cada virada de ano todo mundo faz promessas pro novo ano. Tem gente que diz que vai parar de fumar, que vai engordar, vai emagrecer, vai ficar mais tolerante, vai enricar, vai casar, vai caminhar, vai tudo. E tem aqueles que dão três pulinhos não sei pra que, outros que comem romã, semente de romãs, feijão fradinho, cruza os dedos, faz juramentos secretos e por aí afora.
     Eu resolvi ficar bonita. Não riam. Vou ficar mais bonita, porque bonita eu já sou, só me falta é o Glamour...
     Risos à parte, já tem gente duvidando e até apostando que é impossível, já que passei dos 50 e pior que tá não fica. Só que eu resolvi investir em mim e juro que vou conseguir. Não que eu vá visitar meu conterrâneo Pitangui, porque ele tem mais o que fazer, mas eu não careço de tanto. Basta dar uma ajeitada nos cabelos, nas unhas, sim nas unhas, porque o que mais me falta é justamente a dona vaidade que toda mulher tem e eu lembro a velha canção da dona Amélia que não tinha a menor vaidade.
     Já tive um pouco disso aí, quando era adolescente e depois quando fui procurar emprego, mas era como se eu estivesse com uma máscara de corpo inteiro me cobrindo, já que eu fazia uns rabiscos nos olhos e nas unhas para poder fazer bonito perante a dona sociedade. Mas gosto mesmo eu não tinha por andar assim, toda emperiquitada. Sempre gostei do natural só que o natural incomoda as pessoas que sempre se meteram na minha vida com besteiras do tipo, porque você não faz assim ou assado, ou pinta aqui, acolá. E eu fingia que nem ouvia. E sempre incomodei, mas agora incomodada estou eu. Vou mudar radicalmente. Quem viver, verá.
     Nasci morena, mas já fui loura, ruiva e já tive até cabelos vermelhos, mas era mesmo pra esconder os cabelos brancos que sobressaíam desde que eu tinha 12 anos. Meu primeiro fio branco apareceu já nessa idade e eu sabia que meu destino seria contribuir com as fábricas de pinturas de cabelo, até porque isso eu nunca admiti e nem achei bonito. Cabelo branco pra mim, só se for pra depois dos 80 e ainda estou longe disso.
    E chegando bem perto do final do ano, eu que nunca prometi fazer nada diferente porque sempre conto com o vento próprio do destino, resolvi neste fim de ano prometer alguma coisa pro ano que vem. Algo que não fosse tão difícil e nem sacrificado demais como fazer exercícios e dar uma boa caminhada. Até que preciso caminhar e por ordem médica, mas sou preguiçosa e não saio do lugar. Todo dia digo que vou e nunca vou. Mas este ano de 2013 as coisas vão mudar e vai começar por aí; Caminharei,  vou dar pedaladas e sem conversa fiada. Já fiz até minha tabela de horários. Acho que ra isso que faltava, pra começar.
     Engordar eu não consigo, então já desisti. Emagrecer também. Já cansei disso. Nunca chego aos 50 quilos e por conta disso nem posso doar sangue e não posso pensar em ficar gorda porque tenho colesterol elevado, então fico onde estou com meus 48 quilos. Ta bom demais pro meu tamanho. E falando em tamanho, sou quase da altura da Lady Gaga, só que ela é mais altinha, eu só chego a 1 e meio. Pequena grande mulher eu sou e pensando grande, pensei em mim e porque não?
     Sou desleixada aos olhos dos desavisados, porque não me pinto, não faço unhas, não depilo pernas. As pernas eu não depilo porque não tem pelos. Queimei as pernas quando era criança em um incêndio em casa que eu e minha irmã provocamos, brincando com um “durmabem”. O sofá lambeu de madrugada e fui acordada com um balde dágua na minha cara e o plástico do sofá derreteu e ficou grudado nas minhas pernas e só saiu depois de alguns dias, passando bastante pomadas. Então me depilei para sempre. 
     Minhas rugas, claro, apareceram. Muita praia, muito sol, muitas lágrimas e muito sofrimento, fizeram isso, mas a gente pode dar um jeito. Nada que uma botox não dê jeito. Mas isso é um caso a pensar ainda.
     Não to preocupada com rugas porque não sou de fingir que sou jovem. Visto-me como uma pessoa normal pra idade e meus pensamentos é que são desencontrados porque não consigo sair da infância mesmo com tanto tempo passado. Adoro ouvir piadas e rir bastante e ainda gosto de ficar perto dos mais jovens e é isso. Meus filhos vivem dizendo que eu sou é meiomaluca. Mas não sou não. Só não cresço psicologicamente.
        E essa é a minha promessa para o ano de 2013. Me modificar, me valorizar mais, fazendo um bom investimento em mim mesmo, por fora e por dentro para que quando alguém me avistar explane: Nossa, como você ta bonita!
       Mesmo que somente minha alma esteja renovada, já valeu.
       E que todos tenham bons planos para 2013.


                                               


               Hoje, neste momento estou a sentir saudades. E são muitas coisas de que sinto saudades e é sempre quando o natal vem se aproximando. Fico triste e nostálgica e para expressar exatamente o que sinto agora, Clarice Lispector escreveu há anos atrás do jeito que descreve exatamente o que sinto e assim deixo que voces apreciem a grande obra de Clarice e entenda o que sinto. 




Saudades

Clarice Lispector


Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida.
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros,
quando escuto uma voz, quando me lembro do passado,
eu sinto saudades...
Sinto saudades de amigos que nunca mais vi,

de pessoas com quem não mais falei ou cruzei...
Sinto saudades da minha infância,

do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro,
do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser...
Sinto saudades do presente,

que não aproveitei de todo,
lembrando do passado
e apostando no futuro...
Sinto saudades do futuro,

que se idealizado,
provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser...
Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei!

De quem disse que viria
e nem apareceu;
de quem apareceu correndo,
sem me conhecer direito,
de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.
Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito!

Daqueles que não tiveram

como me dizer adeus;
de gente que passou na calçada contrária da minha vida
e que só enxerguei de vislumbre!
Sinto saudades de coisas que tive

e de outras que não tive
mas quis muito ter!
Sinto saudades de coisas

que nem sei se existiram.
Sinto saudades de coisas sérias,

de coisas hilariantes,
de casos, de experiências...
Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia

e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer!
Sinto saudades dos livros que li e que me fizeram viajar!

Sinto saudades dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar,

Sinto saudades das coisas que vivi

e das que deixei passar,
sem curtir na totalidade.
Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que...

não sei onde...
para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...
Vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades

Em japonês, em russo,
em italiano, em inglês...
mas que minha saudade,
por eu ter nascido no Brasil,
só fala português, embora, lá no fundo, possa ser poliglota.
Aliás, dizem que costuma-se usar sempre a língua pátria,

espontaneamente quando
estamos desesperados...
para contar dinheiro... fazer amor...
declarar sentimentos fortes...
seja lá em que lugar do mundo estejamos.
Eu acredito que um simples

"I miss you"
ou seja lá
como possamos traduzir saudade em outra língua,
nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha.
Talvez não exprima corretamente

a imensa falta
que sentimos de coisas
ou pessoas queridas.
E é por isso que eu tenho mais saudades...

Porque encontrei uma palavra
para usar todas as vezes
em que sinto este aperto no peito,
meio nostálgico, meio gostoso,
mas que funciona melhor
do que um sinal vital
quando se quer falar de vida
e de sentimentos.
Ela é a prova inequívoca

de que somos sensíveis!
De que amamos muito
o que tivemos
e lamentamos as coisas boas
que perdemos ao longo da nossa existência...



     Sei que estou em falta com vocês, mas como eu havia dito estava estudando e agora finalmente terei tempo para o meu querido amigo Blog e para vocês, é claro. Fiz muitas coisas, conheci muita gente, corri muito no dia a dia, mas uma coisa eu tinha certeza. Estava com saudades daqui. Vez em quando rabiscava algum papel e guardava para depois postar quando pudesse.
 
Blogger Templates