Feliz Aniversário


Clique aqui para mandar recados e imagens!
        Ontem foi um dia para não se esquecer. Deus me livre, mas o dia ontem foi esquisito. Saí de casa as 7 da manhã para fazer exame de sangue, já em jejum de 12 horas. Chegando na clínica a atendente observa que meu pedido havia expirado por ter mais de 30 dias. Para não perder a viagem implorei que coletassem meu sangue e que eu iria a um médico assim que saísse de lá para trocar o pedido para renovar a data. Ela aceitou e eu quase já desmaiando de fome, coletei meu sangue e aproveitei o monte de lanches que tinha a minha disposição e tirei a forra do jejum. Tomei um café com leite com pães de queijo e fui pro pronto socorro me consultar. Fui a primeira da fila e ia ser atendida em 10 minutos. Mas não fui. Esperei, esperei e esperei. A doutora me perguntou pela minha ficha porque ela nunca me chamava e encheu de gente que foram atendidos iam embora e eu ficava. Voltei na recepção e tive uma decepção. Uma atendente culpava a outra pela minha ficha. Uma dizia “eu te entreguei”… e a outra retrucava..”não a que eu te dei foi outra”.. Resumindo. Sumiram com minha ficha de atendimento e começaram a procurar em tudo quanto é canto. Eu pedi que parassem com aquela palhaçada e refizessem minha ficha porque eu queria ir embora, afinal já eram quase 9 horas. Aí uma delas me falou assim.. “ah… mas se a senhora for chamada 2 vezes?” No que eu respondi: Não tem problema. Uma eu vou atender e da outra vez que me chamarem eu já estarei longe e não vou poder atender e aí é só jogar essa em branco, fora! Aí a bobinha falou… “Ah…tá.” Fui prá porta do consultório novamente para ser chamada. Aí a doutora gritou: Leliane! Levantei rápido e outra moça também. E a doutora completou: Leliane Soares! Eu pensei. Que coisa! Nunca vejo ninguém com meu nome e agora aparecem duas! Sentei-me e esperei. Quando Leliane Soares sai do consultório, a doutora sai em seguida de bolsa tira-colo e tudo mais e vai embora. Fiquei me sentndo com cara de bexta. Assim… meio parada. Fui na recepção novamente e as meninas me disseram que um outro médico já ia chegar para continuar a atender.Então falei pro meu marido ir se adiantando e ir embora pro trabalho porque agora o “trem” ia demorar. Meu marido virou as costas e o médico chegou,  e eu fui chamada. Troquei o raio do pedido de sangue e levei no laboratório e como meu marido tinha acabado de ir embora porque não podia mais esperar, pois tava atrasado, liguei prá ele que já estava a 2 quadras de lá e ele voltou e me deixou na Rodoviária prá de lá eu pegar um ônibus e pegar minha filha na escola.
        Comprei umas besteirinhas e coloquei recarga no meu celular. Fiquei mais descansada e ia me dirigindo para o ponto de ônibus quando meu marido me liga prá dizer que minha filha já estava liberada do colégio me esperando. Corri e entrei no ônibus que estava saindo. Quando ele entrou numa rua que não era prá entrar, dei de conta que entrara no ônibus errado. Saltei, atravessei a rua e esperei o ônibus em direção contrária para poder pegar o ônibus certo. Liguei para minha filha avisando que eu iria atrasar um pouco. O ônibus que eu queria pegar não existia e nem passava por ali. Então tive que fazer baldiação. Peguei em tal de Grande circular e quando ele circulou em um lugar que eu conhecia, saltei e enfim, peguei o ônibus que eu teria que pegar lá no começo. Liguei prá minha filha novamente e combinei com ela que quando estivesse próxima da escola eu ligaria novamente para que ela viesse para o ponto de ônibus me encontrar. Aí uma senhora de idade, começou a conversar comigo, puxar assunto, malhar a nora que já era falecida, coisa e tal e eu cheguei no meu destino e dei um feliz natal para a senhora e saltei do ônibus. Abri minha bolsa prá ligar prá minha filha e … cadê meu celular? Catei na  bolsa, nos bolsos e nada. Perdi meu celular, com crédito, com chip, minhas fotos, meus vídeos, meu tudo. Sacanagem! Cheguei na escola, minha filha me pergunta porque não liguei. Expliquei e pelo celular dela, liguei para o meu na esperança de alguém atender e me devolver. Que nada. Desligado ou fora de área. Agora ele tava perdido mesmo. Liguei prá operadora e bloqueei o chip. Triste, cansada e irritada. Fui para o ponto de ônibus, minha filha me pediu prá comprar uma coca-cola  e o ônibus passou. Tivemos que esperar outro.
        Chegamos em casa, graças a Deus com saúde e cansadas. Ganhamos ainda uma carona do ponto até em casa.Que bom!
        À tarde a secretária da nutricionista que eu havia marcado consulta para 5 de janeiro, me telefona e desmarca a tal consulta para 8 de fevereiro. Legal, né? Afinal a doutora merece férias e ela havia esquecido que janeiro não era para agendar ninguém.
        “Discunjuro, pé-de-pato, mangalô três vezes, sai prá lá com esse gato, sexta-feira 13”

 

Faça dos seus pensamentos a força de que estás precisando.

Esqueça as coisas ruins e limpe a mente cultivando somente bons pensamentos.

Acredite no sucesso total, não imagine obstáculos na sua mente.

Tudo que uma pessoa é capaz de planejar, ela é capaz de realizar.

Tenha fé, otimismo e ação.

Sua vida só você a vive.

Portanto goste mais, acredite mais e seja feliz.

Procure plantar semente de amor e otimismo na sua vida e colherás sempre maravilhosos frutos

Eu acredito em você!

Eu tenho tido muita atenção em toda minha vida às músicas nacionais, em particular as de Roberto Carlos. Em toda sua trajetória , suas músicas estão sempre em destaques nas rádios. São poesias certas do que o artista vivencia no momento. Será muita coincidência se ele me disser o contrário. Cada um canta com mais fervor aquilo que realmente sente na alma. E como essas músicas tocam tanto o nosso coração! Sejam elas tristes ou mais otimistas, elas nos passam uma mensagem. Nos embalam. Dizem aquilo que gostaríamos de dizer ou aquilo que gostaríamos de estar vivendo. Deixo aqui registrado que passo a vida cantando. Seja de tristeza, seja de alegria, eu canto. E como diz o trecho de uma música..."quem canta seus males espanta". Canto, porque passo a mensagem adiante. Seja para "ele ouvir", seja para ele sentir a necessidade que às vezes sinto de me desabafar. Como nada entendo de abandono, só de amor e de esperar, eu canto porque o instante existe e minha vida está mudada. Não sou alegre e nem sou triste. Sou poeta.
Se você disser que não me ama
Tem que me dizer mais de uma vez
Tem que me fazer acreditar
Em coisas que eu não quero ouvir
Tem que dizer tudo que eu detesto
Que não me suporta, que eu não presto
Tem que repetir por muitas vezes
Que não quer saber de mim
Tem que me dizer coisas horríveis
Inacreditáveis, impossíveis
Coisas que um homem não suporta
Ter que ouvir de uma mulher
Tem que me dizer que eu vá embora
Me botar daquela porta afora
E mesmo assim não sei se desse jeito
Em tudo isso vou acreditar
Tem que disfarçar o seu desejo
E não se excitar quando eu te beijo
Porque qualquer pequeno gesto seu
É um bom motivo pra eu ficar
Tem que me dizer coisas horríveis
Inacreditáveis, impossíveis
Coisas que um homem não suporta
Ter que ouvir de uma mulher
Tem que me dizer que eu vá embora
Me botar daquela porta afora
E mesmo assim não sei se desse jeito
Em tudo isso vou acreditar
Tem que disfarçar o seu desejo
E não se excitar quando eu te beijo
Porque qualquer pequeno gesto seu
É um bom motivo pra eu ficar
Se você disser que não me ama
Tem que me dizer mais de uma vez
Se você disser que não me ama
Tem que me dizer mais de uma vez
Eu me vi tão só
Enfrentando momentos difíceis de solidão
Sem ninguém pra me ouvir, e vivi tão só
Das lembranças contidas no meu coração
Sem saber pra onde ir e assim eu chorei
Pois tudo que eu te dei você não entendeu
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer
Eu me vi tão só
E tentei esconder minha solidão
Mas eu não consegui e vivi tão só
Procurando no tempo uma solução
Pra esquecer de você vou tentar outra vez
A paz de um novo amor que eu preciso ter
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer
Momentos são iguais àqueles
Em que eu te amei,
Palavras são iguais àquelas
Que eu te dediquei.
Eu escrevi na fria areia
Um nome para amar,
O mar chegou, tudo apagou,
Palavras leva o mar.
Teu coração, praia distante
Em meu perdido olhar,
Teu coração, mais inconstante
Que a incerteza do mar.
Teu castelo de carinhos
Eu nem pude terminar,
Momentos meus, que foram teus
Agora é recordar.
Silêncio
Morreu um poeta no morro
Num velho barraco sem forro
Tem cheiro de choro no ar
Mas choro que tem bandolim e viola
Pois ele falou lá na escola
Que o samba não pode parar
Por isso meu povo no seu desalento
Começa a cantar samba lento
Que é jeito da gente rezar
E dizer que a dor doeu
Que o poeta adormeceu
Como um passaro cantor
Quando vem no entardecer
Acho que nem é morrer
Silêncio
Mais um cavaquinho vadio
Ficou sem acordes, vazio
Deixado num canto de um bar
Maz dizem poeta que morre é semente
De samba que vem derepente
E nasce se a gente cantar
E dizer que a dor doeu
Que o poeta adormeceu
Como um passaro cantor
Quando vem no entardecer
Acho que nem é morrer

Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida eu vou te amar
Desesperadamente eu sei que vou te amar
E cada verso meu será
Pra te dizer que eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida
Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que esta ausência tua me causou
Eu sei que vou sofrer
A eterna desventura de viver
A espera de viver ao lado teu
Por toda a minha vida.


Cajueiro velho
Vergado e sem folhas
Sem frutos, sem flores
Sem vida, afinal
Eu que te vi
Florido e viçoso
Com frutas tão doces
Que não tinha igual
Não posso deixar
De sentir uma tristeza
Pois vejo que o tempo
Tornou-te assim
Infelizmente também a certeza
Que ele fará o mesmo de mim
Já tenho no rosto
Sinais de velhice
Pois da meninice
Não tenho mais traços
Começo a vergar como tu, cajueiro
Fui teu companheiro
Dos primeiros passos
Portanto
Não tens diferença de mim
Seguimos marchando
Em uma só direção
Apenas me resta da vida o fim
E da mocidade a recordação
Valei-me Deus
É o fim do nosso amor
Perdoa por favor
Eu sei que o erro aconteceu
Mas não sei o que fez
Tudo mudar de vez
Onde foi que eu errei
Eu só sei que amei
Que amei Que amei
Será talvez que minha ilusão
Foi dar meu coração
Com toda força
Pra essa moça me fazer feliz
E o destino não quis
Me ver como raiz
De uma Flor de Lis
E foi assim que eu vi
Nosso amor na poeira, poeira
Morto na beleza fria de Maria
E o meu jardim da vida
Ressecou morreu
No pé que brotou Maria
Nem margarida nasceu
E o meu jardim da vida
Ressecou morreu
No pé que brotou Maria
Nem margarida nasceu
Agora eu sei
Que o amor
que você prometeu
Não foi igual
Ao que você me deu
Era mentira o que você jurou
Mas não faz mal
Eu aprendi
Que não se deve crêr
Em tudo aquilo
Que alguém nos diz
Num momento de prazer ou de amor
Mas tudo bem
Eu sei que um dia vai e outro vem
Você ainda ha de encontrar alguém
Pra lhe fazer
O que você me fez
Aí na hora do sufoco
Sei que você vai me procurar
Com a mesma conversa
Que um dia me fez apaixonar
Por alguém de uma falsa consideração
Aí você vai perceber que eu estou
Numa boa
E que durante algum tempo
Eu fiquei sem ninguém
Mas ha males na vida
Que vêm para o bem
Minha estranha loucura
É tentar te entender e não ser entendida
É ficar com você
Procurando fazer parte da tua vida
Minha estranha loucura
É tentar desculpar o que não tem desculpa
É fazer dos teus erros
Num motivo qualquer a razão da minha culpa
Minha estranha loucura
É correr pros teus braços quando acaba uma briga
Te dar sempre razão
E assumir o papel de culpada bandida
Ver você me humilhar
E eu num canto qualquer dependente total do teu jeito de ser
Minha estranha loucura
É tentar descobrir que o melhor é você
Eu acho que paguei um preço por te amar demais
Enquanto pra você foi tanto fez ou tanto faz
Magoando pouco a pouco
Me perdendo sem saber
E quando eu for embora o que será que vai fazer?
Vai sentir falta de mim
Sentir falta de mim
Vai tentar se esconder
Coração vai doer
Sentir falta de mim
Você me vira a cabeça
Me tira do sério
Destroi os planos que um dia eu fiz pra mim
Me faz pensar porque que a vida é assim
Eu sempre vou e volto pros teus braços
Você não me quer de verdade
No fundo eu sou tua vaidade
Eu vivo seguindo teus passos
Eu sempre estou presa em teus laços
É só você chamar
Que eu vou
Por que você não vai embora de vez
Por que não me liberta dessa paixão
Por quê?
Por que você não diz que não me quer mais
Por que não deixa livre o meu coração
Mas tem que me prender
Tem que seduzir
Só pra me deixar louca por você
Só pra ter alguem que vive sempre ao seu dispor
Por um segundo de amor
Nunca mais você ouviu falar de mim
Mas eu continuei a ter você
Em toda esta saudade que ficou...
Tanto tempo já passou e eu não te esqueci.
Refrão:
Quantas vezes eu pensei voltar
E dizer que o meu amor nada mudou
Mas o meu silêncio foi maior
E na distância morro
Todo dia sem você saber.
O que restou do nosso amor ficou
No tempo, esquecido por você...
Vivendo do que fomos ainda estou
Tanta coisa já mudou, só eu não te esqueci.
Refrão
Eu só queria lhe dizer que eu
Tentei deixar de amar, não consegui
Se alguma vez você pensar em mim
Não se esqueça de lembrar,
Que eu nunca te esqueci.
 
Blogger Templates