31 de jan de 2013

Guerreiro Menino (Fagner)


A dor de uma mãe



Somente Deus conhece o coração de quem sofre.
A dor imensa que atinge o coração de uma mãe que perde um filho.
Não existem lágrimas que lhe bastem.
O tempo ao passar também não ameniza esta dor.
Ela é imensa, intensa e eterna.
Ninguém sabe, mas, dentro do peito de uma mãe, seu coração sangra tamanha é essa dor.
Ao sentir um abraço repare, ela somente chora.
Seus olhos perdem o brilho, a cor, a alegria.
E é uma alegria que não voltará jamais.
Passem os anos que forem necessários, a alegria não volta.
E quanto mais tempo passa a dor será cada vez mais intensa a ponto de, em algum momento algumas mães não mais conseguirem suportá-la.
A mãe se vai quando o filho se vai.
Ali, naquele momento em que ela vê seu filho sem vida, a sua também lhe é tirada.
Os outros dias e anos que s seguem são apenas porque Deus o permite e nenhuma mãe, nem mesmo ninguém, consegue a isso modificar.
O tempo aliado a muitos outros para aliviar muitos problemas, não existe como remédio para aliviar a dor de uma mãe que perde um filho, principalmente e principalmente, se tragicamente.
E não precisa que a perda seja tragicamente, de repente, porque o efeito que é provocado em seu coração é o mesmo.
É a maior dor do Mundo. É fato.
Há umas que instantaneamente se perdem em meio a uma loucura obsessiva e cheia de pânico que logo é transformada em doença mental e vira loucura.
   São mães mais sensíveis que criam uma realidade falsa, irreal e conversa com o filho que se foi constantemente e para sempre. Nenhum médico cura essa mulher e se notarem ela nem é mais tão triste assim. porque a loucura de certa forma o aliviou.
E outras que abaladas no momento do choque da notícia, enlouquecem subitamente.
Outras, talvez por serem mais fortes ou tendo outras missões a cumprir nesta vida, sobrevivem.
Falam pouco, dormem pouco, pouco come e chora, choram muito.
Dali em diante aos olhos dos outros o que parece é que ela está bem e conseguir superar.
Não é isso ela continua apenas vivendo,
Mas ninguém, que tem um coração arrancado ou estraçalhado por tamanha dor, consegue viver novamente e bem.
Elas apenas conseguiram sobreviver, porque Deus fez a elas um curativo em seu coração e ele vive todo remendado, embora elas não consigam ver, mas é por isso que ela continua a jornada e caminha pela vida que se segue.
Reparem nessas mulheres, os olhares perdidos, saudosos, desorientados, tristes.
É o olhar mais triste que o Mundo consegue ver.
Abrir uma porta, abrir uma geladeira, senta em um sofá mesmo aconchegante, tudo é muito difícil para quem sofreu uma perda.
São necessárias as maiores forças que os anjos protetores puderem lhe enviar. È uma emergência que paira no ar.
São Eles que as guiarão dali em diante para preservar-lhe a vida até que Deus as leve e enfim termine, enfim com todo este sofrimento.
Mas, enquanto lhe há vida e há de viver mesmo estando morta, sua vida será um vazio jamais preenchido, os dias sem graça e todos os outros serão iguaizinhos, porque a graça de viver lhe foi tirada quando se filho se foi.
A graça que ela tinha estava no filho que ela perdeu e que com ele também morreu.
Oremos, portanto para que todas tenham a força que vem dos anjos que são convocados para que consigam amenizar esta dor latente.
Oremos para que consigam caminhar novamente mesmo que não como antes, mas que consigam...
A perda de quem gostamos, superar é difícil, mas a perda de um filho infelizmente é totalmente impossível.
Deus as conforte e segure firme na mão de cada uma dessas mães desconsoladas

Leliane Alencar em 28/01/13

30 de jan de 2013

Passo a passo de um calendário permanente

Passeando nas ondas da Net via muitas ídéias de calendários, mas todos eles eram enormes e cabiam na parede inteira e gastava-se muito material. Eram lindos, mas tínhamos que ter muita coisa em casa para se aproveitar e poder terminá-los. 
Então imaginei ele menor , talvez na minha mesa de computador e prático e fácil de se marcar o dia de hoje. Resolvi apostar na meu porta retratos que eu tinha de metal que ainda não tinha colocado foto nenhuma. Olhei prá ele e falei: "Vai ser você!" 
Fui até meu ateliê, catei tudo que eu precisava e comecei a inventar moda e não é que ficou bonitinho? Então como não sou egoísta resolvi passar prá vocês a idéia. Vale para todos os anos e decora muito bem um ambiente.Tomara que vocês gostem e entendam meu passo a passo que fiz com carinho para quem resolver ousar.





Como fazer um calendário Permanente






Material:
Placa de metal ou porta fotos como da foto acima que vem com imãs.
Massas de biscuit cores variadas
Cortador de flores e pétalas
1 argola de metal ou papelão forrado para marcar a data

 











Corte 31 flores pequenas ( uma para cada dia do mês)
Corte 07 pétalas pequenas ( uma para cada dia da semana)
Corte 12 flores maiores (uma para cada mês do ano)
e 1 folha média (essa vai ser o ano que se inicia)
Marcador para CD/DVD ou tubo de cola colorida.
 Imã de metro










imã que vende à metro


Cola universal 1 argola (papelão, madeira, metal, etc...)

 



Paciência e muito amor é o Indispensável.




 Modo de fazer:

Escolha a cor que você quer para as folhas, para as pétalas e abra a massa com o rolo e corte de um tamanho adequado à placa.
Você não precisa fazer com flores e pétalas, isso é só uma idéia minha.
Você pode fazer quadrados, esferas, flores, o que você achar mais bonito.
Observe quantas flores e pétalas você vai precisar ou o que você escolheu.
Depois das folhas, flores e pétalas secas chegou a hora de escrever nelas.
Nas 31 flores pequenas numere de 01 a 31 com marcador de CD ponta fina ou com cola colorida isso vai depender da sua mão não tremer e você conseguir escrever com a cola. Nos menores eu usei o marcador permanente de CD/DVD, nas maiores resolvi arriscar a escrever os nomes com colas coloridas. Ficou meio torto porque eu tremi as mãos na hora de escrever, mas no final deu tudo certo.
Nas 7 pétalas, escreva abreviado os dias da semana, exemplo:
Dom, seg., ter, qua, qui, sex, sab.
Na folha maior escreva o ano: 2013
Na flores médias, escreva o mês abreviado exemplo:
JAN, FEV, MAR, ABR, MAI, JUN, JUL, AGO, SET, OUT, NOV, DEZ.
Observe a foto abaixo os dias de semana e meses já prontos com imã.
Espere secar se você usar cola colorida.





















Comece a cortar o imã em pedaços verificando o tamanho que vai ser usado.
Não esqueça que o lado frisado é para por a cola e o liso fica pra cima porque esse é o que vamos encostar no metal, certo?
Mas sempre teste na placa para não colar errado do contrário não vai funcionar.
Alguns imãs são vendidos todo liso.
Espere secar.
Observe de que tamnho você fez os dias e arrume uma argola que envolva ele mas destacando-o para colocar imã na parte de trás desta argola que vai ser a chave de tudo. É com ela que voce irá mudando os dias que se forem passando.

Arrume a placa a ordem dos dias, obedecendo aos dias da semana, conforme a foto abaixo.
 










Os outros meses deixem reservados atrás da placa e vá trocando conforme necessidade. Veja foto.













 
Se quiser pode fazer a placa do ano seguinte ou fazer a placa do ano com os dias em cada flor, então você numera de 0 a 9 e guarde na traseira da placa.
Se for presentear alguém, faça assim e pronto. Espero ter ajudado algum de vocês para que façam um calendário bacana que serve para sempre. 
Leliane Alencar



28 de jan de 2013

Já Escondi um Amor (Clarice Lispector)






Cursos gratuitos em Brasília

Estão abertas as Inscrições para







Vagas oferecidas: 
Mais de 500 vagas

Inscrições: (21/01/2013 a 01/02/2013) 
 Horário de atendimento: 8h às 18h.
Duração: 250 horas Benefícios:

Os alunos recebem vale-transporte, alimentação, material didático completo, seguro de vida e uniforme.

Nessa etapa, o programa vai oferecer aulas de inglês em todos os cursos.

Seleção:
A lista dos candidatos selecionados para as turmas do Qualificopa será divulgada no site da Secretaria de Trabalho

Quem pode participar:
Todas as pessoas, com mais de 18 anos, que morem no DF e possuam a escolaridade exigida pelo curso escolhido.

 (Todos os cursos são de graça)

 LOCAIS DE INSCRIÇÃO:
 em todas as agencias do trabalhador

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA (originais e cópias)

:: Carteira de Identidade ou documento equivalente
:: CPF


 Vejam  mais informações no site do GDF no link abaixo.

http://www.trabalho.df.gov.br/
e clique em qualificopa

 ( se o link não funcionar, copie e cole em seu navegador e dê enter>

FONTE: http://www.trabalho.df.gov.br



 

13 de jan de 2013

Sorteio de um layout para blog. Participe!

Bem, eu adoro mudar a roupa do meu blog e por isso estou participando do sorteio de um novo layout toto personalizado para meu blog. Se você estiver a fim clique aqui neste link  http://www.amandalayouts.com  
e se inscreva. Não custa nada. Eu já estou participando. Agora é so cruzar os dedos.

4 de jan de 2013

É preciso muito


É preciso que muita coisa aconteça na nossa vida para que ela fique tumultuada,
para que a gente fique atordoada, para que o desespero comece a tomar conta de nós,
da nossa alma, dos nossos gestos.
É preciso que o que aconteça seja muito sério,
desproporcional até mesmo aos pensamentos errôneos e absurdos que já tivemos,
as mais loucas imaginações que já tivemos,
aos piores horrores que um dia pensamos em passar,
as mais inconseqüentes alucinações febris que já passamos.
È preciso que o que nos atordoe,
seja muito estranho,
muito diferente,
muito inconseqüente,
para que as nossas forças falhem,
a nossa boca emudeça,
o coração dispare,
os olhos nada mais vejam.
É preciso que tenhamos nervos de aço,
coração feito de pedra
e cabeça bem certa no lugar para não enlouquecermos,
não cairmos,
não gritarmos,
não cometermos nenhum pecado.
E ainda se mesmo assim ficarmos vivos,
não mais viveremos.
E foi assim que a minha vida mudou quando te conheci.
Aliás, bastou eu olhar pra você e te amei assim que te vi.
Minha vida já estava tumultuada
e meio que atordoada vi me apaixonar por você
e para meu desespero vi esse sentimento se agigantar,
tomar um rumo que eu não queria, mas,
que não foi por meu comando que ele nasceu.
E vi o amor tomar conta de mim,
da minha alma,
dos meus gestos.
Meus pensamentos eram errados,
absurdos,
confusos,
desesperados e alucinados.
A cada noite um pesadelo quando eu deveria era sonhar
e ao invés de abraços, via garras monstruosas me arranhando o corpo
e me ferindo por inteira.
E já desfalecida acordava e gritava quase que por descuido, seu nome.
Eram só pesadelos, mas me doíam porque eram minha realidade oculta,
como era minha vida.
Monstruosa e infeliz.
Os dias passavam de teimosos que eles eram.
Preguiçosa e sem graça a vida também passava.
Não havia sol que me bastasse,
comida que me apetecesse,
nem motivos para que feliz eu fosse.
Pois você era o meu sol!
Eu tinha fome de você!
E era você o motivo do qual me faria feliz.
Mas era você, exatamente você que eu não poderia querer.
E não o teria.
Sentia-me desconfortável, traidora e infiel,
Embora nunca tenha sido.
Mesmo sem nunca ter sido,
Julgaram-me e me apedrejaram.
Falavam de mim como se eu fosse uma criminosa.
Olhavam-me como se fossem todos puros.
Passei a vida te amando em tom menor
Em sonhos e pesadelos que eu mesmo criava.
Tu nunca soubeste e por isso se foi.
E eu fiquei olhando pela janela
O resto da vida esperando você voltar.
Morri como morre uma rosa,
Aos poucos, lentamente e para sempre.