Somente Deus conhece o coração de quem sofre.
A dor imensa que atinge o coração de uma mãe que perde um filho.
Não existem lágrimas que lhe bastem.
O tempo ao passar também não ameniza esta dor.
Ela é imensa, intensa e eterna.
Ninguém sabe, mas, dentro do peito de uma mãe, seu coração sangra tamanha é essa dor.
Ao sentir um abraço repare, ela somente chora.
Seus olhos perdem o brilho, a cor, a alegria.
E é uma alegria que não voltará jamais.
Passem os anos que forem necessários, a alegria não volta.
E quanto mais tempo passa a dor será cada vez mais intensa a ponto de, em algum momento algumas mães não mais conseguirem suportá-la.
A mãe se vai quando o filho se vai.
Ali, naquele momento em que ela vê seu filho sem vida, a sua também lhe é tirada.
Os outros dias e anos que s seguem são apenas porque Deus o permite e nenhuma mãe, nem mesmo ninguém, consegue a isso modificar.
O tempo aliado a muitos outros para aliviar muitos problemas, não existe como remédio para aliviar a dor de uma mãe que perde um filho, principalmente e principalmente, se tragicamente.
E não precisa que a perda seja tragicamente, de repente, porque o efeito que é provocado em seu coração é o mesmo.
É a maior dor do Mundo. É fato.
Há umas que instantaneamente se perdem em meio a uma loucura obsessiva e cheia de pânico que logo é transformada em doença mental e vira loucura.
   São mães mais sensíveis que criam uma realidade falsa, irreal e conversa com o filho que se foi constantemente e para sempre. Nenhum médico cura essa mulher e se notarem ela nem é mais tão triste assim. porque a loucura de certa forma o aliviou.
E outras que abaladas no momento do choque da notícia, enlouquecem subitamente.
Outras, talvez por serem mais fortes ou tendo outras missões a cumprir nesta vida, sobrevivem.
Falam pouco, dormem pouco, pouco come e chora, choram muito.
Dali em diante aos olhos dos outros o que parece é que ela está bem e conseguir superar.
Não é isso ela continua apenas vivendo,
Mas ninguém, que tem um coração arrancado ou estraçalhado por tamanha dor, consegue viver novamente e bem.
Elas apenas conseguiram sobreviver, porque Deus fez a elas um curativo em seu coração e ele vive todo remendado, embora elas não consigam ver, mas é por isso que ela continua a jornada e caminha pela vida que se segue.
Reparem nessas mulheres, os olhares perdidos, saudosos, desorientados, tristes.
É o olhar mais triste que o Mundo consegue ver.
Abrir uma porta, abrir uma geladeira, senta em um sofá mesmo aconchegante, tudo é muito difícil para quem sofreu uma perda.
São necessárias as maiores forças que os anjos protetores puderem lhe enviar. È uma emergência que paira no ar.
São Eles que as guiarão dali em diante para preservar-lhe a vida até que Deus as leve e enfim termine, enfim com todo este sofrimento.
Mas, enquanto lhe há vida e há de viver mesmo estando morta, sua vida será um vazio jamais preenchido, os dias sem graça e todos os outros serão iguaizinhos, porque a graça de viver lhe foi tirada quando se filho se foi.
A graça que ela tinha estava no filho que ela perdeu e que com ele também morreu.
Oremos, portanto para que todas tenham a força que vem dos anjos que são convocados para que consigam amenizar esta dor latente.
Oremos para que consigam caminhar novamente mesmo que não como antes, mas que consigam...
A perda de quem gostamos, superar é difícil, mas a perda de um filho infelizmente é totalmente impossível.
Deus as conforte e segure firme na mão de cada uma dessas mães desconsoladas

Leliane Alencar em 28/01/13

0 comentários:

 
Blogger Templates