Tenho uma tempestade dentro de mim. 
A noite me entristece 
O dia não me tranquiliza. 
Estou a viver momentos difíceis e me sinto cansada.
O orvalho da manhã não brilha aos meus olhos. 
Ele é tão somente mais uma droga de coisa que aparece na vida da gente. 
O bonito, o prazeroso, o afetivo se foi. 
Fiquei com a revolta, com o cansaço, com a estafa. 
Fiquei também com um pouco do tédio que me acompanha diariamente. 
o Sol? ah nem sei mais dele.
Sei lá pra onde se perdeu. 
Chove e chove e a chuva me deprime.
Não era pra mim estar assim e nem pra me mostrar assim. 
Mas já não suporto certas coisas. 
São atos, falas, gestos, atitudes que eram pra serem diferentes.
Mas não mudam, não mudam e não mudam. 
Não existe gentilezas, por favor, dá licença, obrigada. 
O meu ser se fragiliza e com ele me vem lágrimas e eu odeio essa parte. 
Cheguei em um ponto em que ou dou um jeito na minha vida ou ela vai dar um jeito em mim. 
Me preocupo demais, amo demais, luto demais e não me reconhecem, 
não me valorizam, não me respeitam como gente, como ser humano 
Não notam minha tristeza, minha revolta, meu cansaço. 
Estou cansanda até da vida que me leva. 
Já nem sei qual é o meu nome certo. 
Se tola sonhadora ou burra psicótica. 
Me machuco demais com palavras ásperas. 
Me machuco demais com indelicadezas repetitivas.
Me machuco demais com as indiferenças constantes.
Me mordo, me arranho, me estrago, me arrebento e ninguém nota, 
pois meu rosto de tristeza já faz parte da mobilia.
Meu semblante de derrota e dor viraram rotina.
Mas não quero ser mais eu.
Quero ser o que eu era lá atrás em um passado distante. 
Não fisicamente, disso não tenho rancor.
As rugas são minhas, ninguém as colocou em mim. 
Se sofri e chorei, elas se fizeram presentes quando era o tempo de vir.
Mas o que eu não quero mais é não saber mais meu nome.
É me perder de mim mesma, como há tempos me perdi. 
Ah como eu queria poder sorrir novamente. 
Fazer de conta que nada ruim está acontecendo. 
Mas a vida está dificil e antes fossem problemas financeiros 
Bem mais fáceis de tentar resolver. 
Ai, que situação a minha, 
Um desabafo enjoado. 
Mas prometo sair dessa situação.
Só não sei ainda como.
Deus sabe.
Eu não.
É uma situação que a gente olha para os lados, pra trás, pra frente, 
pra qualquer lugar e não se acha a solução para caso nenhum.
Então eu busco na incerteza desse meu amanhã uma maneira de não sofrer tanto assim. 
Mesmo disfarçando um sorriso ali, em alô aqui e assim vou vivendo, até onde Deus permitir. . 



barrinhas photo:  78b.gif

 Leliane Alencar.

0 comentários:

 
Blogger Templates